O papel da odontologia hospitalar na recuperação de pacientes COVID O papel da odontologia hospitalar na recuperação de pacientes COVID – Hospital da Baleia

O papel da odontologia hospitalar na recuperação de pacientes COVID

A odontologia hospitalar tem desenvolvido um papel fundamental junto aos pacientes internados com a COVID-19 na UTI do Hospital da Baleia. A atuação de dentistas tem contribuído na prevenção de infecções e na recuperação dos pacientes intubados por causa da COVID.

“Os atendimentos a beira leito acontecem a todo momento. Diariamente somos acionados pela equipe médica e, hoje, temos disponível no Hospital da Baleia equipamentos de última geração que nos permitem fazer todos os procedimentos dentro do próprio CTI, até mesmo radiografias”, explicou Dra. Juliana Grossi, cirurgiã-dentista.

Ainda de acordo com a cirurgiã-dentista, quanto mais tempo de intubação, mais lesões e infecções na boca podem aparecer, aumentando o risco para o paciente. “A internação prolongada pode gerar infecções oportunistas, infecções hospitalares, traumas e lesões por conta da intubação, impactando diretamente a qualidade de vida do paciente. Essas infecções orais, muitas vezes, agravam o estado do paciente COVID e podem levar a outras doenças, como a pneumonia e até ao óbito”, alertou.

Com 51 dias de internação no CTI da Baleia, o senhor José Tavares Sobrinho, 78 anos, tem sido constantemente atendido pela equipe da Odontologia. Na última consulta, o paciente teve a cavidade oral avaliada com evidenciar clínico (luz ultravioleta), higienização bucal a beira leito e as lesões foram tratadas com laserterapia. “O nosso trabalho é preventivo e com a aplicação do protocolo de higiene oral, conseguimos reduzir as pneumonias em mais de 80%”, afirmou a cirurgiã-dentista.

Com mais de 20 anos de profissão, a Dra. Juliana Grossi explica que o dentista nunca foi tão necessário nas UTIs como agora. “A extensão da internação, o tempo maior de intubação e as posições que os pacientes precisam ficar para melhorar a ventilação, podem ocasionar sangramentos e lesões em boca. Então o paciente hospitalizado, que tem essa assistência odontológica, pode ter uma recuperação e uma reabilitação muito maior e mais rápida, do que o paciente que não tem”.

Referência em saúde, humanização, ensino e pesquisa

O Hospital da Baleia tem em seu DNA a tradição do ensino e pesquisa, já que foi uma das primeiras instituições a oferecer residência médica no país. A instituição dedica 95% de seu atendimento ao SUS e oferece cerca de 30 especialidades médicas. Como referências, os Centros de Oncologia Adulta e Pediátrica, Nefrologia (Hemodiálise e Transplante Renal), Ortopedia, Pediatria e Cirurgia Bariátrica e Metabólica, além do Tratamento e Reabilitação de Fissuras Labiopalatais e Deformidades Craniofaciais (Centrare). Construída há 76 anos, a instituição conta com recursos financeiros e doações voluntárias para cumprir com excelência a sua missão na prestação de serviços de saúde aos mineiros. Todos os anos são feitos em média, 1,2 milhão atendimentos a pacientes de 88% dos municípios mineiros.