Setembro Dourado chama atenção para o diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil

Há 7 meses, Eduardo Ahnet Barteli, está tratando uma leucemia no Hospital da Baleia. A atenção da família e a descoberta precoce da doença estão fazendo diferença no tratamento

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) a expectativa é que 8.460 novos casos de câncer infantojuvenil sejam registrados este ano no Brasil. O garotinho Eduardo Ahnet Barteli, de 7 anos, faz parte dessa estatística. Ele foi diagnosticado com leucemia em fevereiro deste ano e, desde então, tem sido tratado no Hospital da Baleia.

Três pequenas manchas roxas no braço foram os primeiros sinais que logo chamaram a atenção da sua mãe, Ellida Ines Soares Barteli. “Assim que ele chegou da escola vi as manchas e, no dia seguinte, procurei a professora para saber se ele havia caído ou se machucado. No outro dia, ele amanheceu com o corpo cheio de manchas roxas. Era um sábado e preferimos aguardar para levá-lo ao pediatra na segunda-feira. Só que, no domingo pela manhã, ele vomitou e, em seguida, desmaiou”.

A mãe de Eduardo ainda conta que prontamente ele foi atendido na UPA, transferido para o Hospital Regional de Governador Valadares, cidade onde a família mora, e no mesmo dia conseguiu vaga para tratamento no Hospital da Baleia. “Foi tudo muito rápido. Em menos de duas horas após recebermos os exames que atestaram a leucemia, já fomos transferidos para Belo Horizonte. A Dra.Luciana – médica do Hospital da Baleia – disse que isso fez uma grande diferença no tratamento dele. O Eduardo está evoluindo muito bem e, se Deus quiser, em breve voltará à vida normal de ir para a escola, brincar com os amigos e comer as coisas que gosta”.

Manchas roxas no braço do Eduardo foram os primeiros sinais percebidos por sua mãe, Ellida.

O diagnóstico precoce é exatamente o lema do Setembro Dourado, mês voltado para a conscientização do câncer infantojuvenil. Somente a Oncopediatria do Hospital da Baleia realiza, em média, 200 atendimentos por mês, sendo a leucemia o tipo de câncer mais comum. Já na quimioterapia, são cerca de 100 atendimentos/mês.

De acordo com o Coordenador da pediatria clínica do Hospital da Baleia, Dr.Renato Lasmar, diferentemente de outros tipos de câncer comuns em adultos, que podem se desenvolver por conta do estilo de vida e de maus hábitos, o câncer infantojuvenil não existe prevenção. “O diagnóstico precoce impacta de forma positiva no tratamento e nas chances de cura. Porém, muitas vezes ocorre de forma tardia por atribuírem as alterações observadas na criança a doenças benignas e de ocorrência mais freqüente na infância. Por isso, o acompanhamento pediátrico é fundamental, bem como a percepção familiar do estado geral da criança”.

Segundo o Inca, a chance de cura da doença entre os pequenos é de até 80% quando identificada no início.

Sintomas

São alguns dos principais sintomas e sinais do câncer em crianças e adolescentes:

– Dor nos ossos;

– Febre persistente sem causa aparente;

– Manchas roxas pelo corpo;

– Dor de cabeça persistente por dias;

– Emagrecimento repentino;

– Sangramentos anormais;

– Nódulos em ossos ou no músculo;

– Aumento de glândulas linfáticas que ficam endurecidas;

– Mancha branca no olho.

Centro de Oncologia Pediátrica

Em 2003, o Hospital da Baleia inaugurou o Centro de Oncologia Pediátrica credenciado para atender pacientes via Sistema Único de Saúde (SUS) e pacientes de diversos convênios médicos.

Para melhor integrar esse serviço, foi criado ainda o Centro de Oncologia e Radioterapia que funciona em 2 prédios contíguos do nosso Complexo Hospitalar: Unidade Antônio Mourão e Radioterapia. O Centro é altamente especializado e atua desde a detecção da doença, passando por cirurgias, tratamentos quimioterápicos e radioterápicos, que somam quase 45 mil sessões por ano, até o acompanhamento pós-tratamento do paciente.

A equipe é formada por profissionais multidisciplinares que dedicam seu tempo e conhecimento específico para cada caso. São médicos, enfermeiros, assistentes sociais, dentistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas e psicólogos que cuidam de pacientes de várias partes do Estado.

Mais informações sobre os convênios médicos atendidos pelo Hospital da Baleia entre em contato (31) 3489-1500

Referência em saúde e humanização

À disposição dos mineiros, são mais de 26 especialidades médicas e Centros de Referência em Oncologia Adulta e Pediátrica, Nefrologia (Hemodiálise e Transplante Renal), Ortopedia, Pediatria e Cirurgia Bariátrica e Metabólica, além do Tratamento e Reabilitação de Fissuras Labiopalatais e Deformidades Craniofaciais (Centrare). Construído há 76 anos durante uma outra epidemia tão mortal quanto – a tuberculose – o Baleia sempre se preocupa em cuidar de quem mais precisa. Desde aquela época, a instituição filantrópica conta com a destinação de recursos e doações voluntárias para a cumprir com excelência a sua missão na prestação de serviços de saúde aos mineiros. Todos os anos são mais de 600 mil procedimentos médicos, de 95 mil atendimentos ambulatoriais, de 370 mil exames, de 55 mil sessões de hemodiálise, de 20 mil consultas pediátricas, de 12 mil internações, de 11 mil cirurgias e mais de 33 mil sessões de quimioterapia e radioterapia destinados aos cidadãos de 88% dos municípios mineiros – maioria vinda pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Siga as redes sociais do Hospital da Baleia

Instagram: https://www.instagram.com/hospbaleia/

Facebook: https://www.facebook.com/hospitaldabaleia

Site: https://hospitaldabaleia.org.br/

Youtube: https://www.youtube.com/hospitaldabaleia

Twitter: http://www.twitter.com/hospbaleia

Posts Relacionados

Um novo olhar para o câncer

Pelo 3º ano consecutivo, Hospital da Baleia e fotógrafo voluntário realizam ensaio para pacientes em tratamento oncológico Projeto Poderosas –

Leia mais »

Faça parte da nossa rede de solidariedade!